sexta-feira, 20 de julho de 2018

Amigo em todos os dias

Todo dia é especial para quem tem amigos. Hoje, porém, é um dia diferente o dia do amigo. Nesse quero deixar uma mensagem a amigos de infância. Lembro o nome deles, se não me lembro é pelo fato de não ser amigo. Amigo marca, pelas peripécias, as artes, travessuras, conquistas realizadas conjuntamente. Muitos daqueles que a distância nos separou, cujos caminhos seguiram rumos diferentes, hoje com o advento das mídias sociais podemos reencontrar e trocar algumas mensagens. Muitos desses, mais de 40 anos que eu não os vejo, mas, mas, são especiais, por isso estão gravados em minha memória. Na dinâmica da vida, como um transeunte na existência fiz outros amigos por onde passei. As amizades construídas nos últimos anos. Amigo é um presente vindo do Céu. Sua amizade é muito importante para mim. Ser meu amigo, eu sei, não é muito fácil. Mas, se estou entre seus amigos, por isso sou grato. Muito obrigado. Deus abençoe sua vida. Sua existência é importante, me faz continuar me esforçando.



sábado, 7 de julho de 2018

A Criatividade e a Vaca

As vezes precisamos só de um pouco de criatividade para sermos um pouquinho mais feliz. A arte do improviso é uma bênção quando se sabe utilizá-la e devemos usar sempre a criatividade. Aquele que só tem um limão pode fazer dele uma limonada, os mais, criativos, do limão fazem um mousse, com uma tábua faz uma canoa, pois bem, quantas vezes diante dos parcos recursos, ficamos paralisados olhando para a falta deles e não vemos as possibilidades. Lembro me do conto onde "Mestre e discípulo andavam pela estrada. O caminho era inóspito, agressivo. O ambiente não era favorável à vida. Muitas pedras e montanhas escarpadas de pouca vegetação. Avistaram, ao longe, uma casinha de aspecto pobre e humilde, e para lá se dirigiram. Foram recebidos, hospitaleiramente, pelo dono da casa e sua numerosa família. Foram abrigados, e os residentes, com eles, compartilharam sua escassa comida e seu espaço para dormir. Interrogado pelo mestre, o dono da casa disse que a alimentação provinha de uma única fonte: uma única vaca da qual tiravam leite e seus subprodutos. O excedente era usado para efetuar trocas no povoado mais próximo. Mestre e discípulo ficaram ali mais alguns dias, e depois partiram. Algumas horas depois da partida, o mestre disse ao discípulo: - Volte lá, às escondidas, e jogue a vaca no penhasco. Estupefato, o discípulo argumentou: - Mestre, como podes me pedir isto? Então não percebes a pobreza de tão numerosa família, e que seu único sustento é a vaca? E, mesmo assim, pedes-me para jogá-la no penhasco? - Sim - disse o mestre. Jogue a vaca no penhasco. Desorientado, o discípulo decidiu atender o mestre, no entanto, não conseguia fazê-lo, sem sentir uma enorme culpa. Mesmo assim, o fez pelo mestre. Alguns anos depois, passavam novamente pelas proximidades, o mestre e o discípulo. Sem nada dizer ao mestre, o discípulo decidiu que faria a expiação, e pediria perdão por ter jogado a vaca do penhasco. Assim, dirigiu-se até lá. Mas, quando chegou, não mais encontrou a pobre casinha em seu lugar. Havia uma construção nova e confortável. As pessoas, que avistou, eram limpas e bem vestidas, o ambiente era de trabalho, e o progresso era evidente. Foi, então, até uma das pessoas e perguntou: - Há uns dois ou três anos, aqui havia uma pequena e pobre casinha. Saberia me dizer para onde foram aquelas pessoas? - Somos nós - respondeu o homem. - Não, refiro-me àquelas pessoas pobres que aqui viviam. - Somos nós - respondeu ele, novamente. - Mas, o que aconteceu? - disse, olhando o progresso a sua volta. - Bem - disse o homem. Aconteceu, numa noite, um terrível acidente, em que nossa vaca, nossa única vaca, caiu do penhasco, e ficamos sem nossa fonte de sustento. Não tivemos outra alternativa, então, a não ser buscar trabalho. Descobrimos, então, nossas próprias capacidades, e as potencializamos. Como resultado, temos hoje uma bonita e confortável casa". A criatividade surge quando falta o convencional.

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Por que brigamos.


“Já não consigo esquecer as tolices que você diz nessas horas já tentei mais não posso, tenho a impressão que do amor que um dia existiu entre nós, hoje só resta uma chama apagando, o medo de ficar só me apavora e eu me desespero, só me resta pedir sua ajuda, pedir que você não me deixe” essa é parte de uma canção. Há um pensamento que me incomoda muito: o que motiva brigarmos com as pessoas que amamos. Não tem lógica. Poxa vida! Quando discutimos com pessoas queridas, o sofrimento é mútuo. Ferimos e somos feridos. Não está certo, não faz sentido, todavia, é isso que fazemos: brigamos, discutimos, ferimos. Depois. Bom, depois choramos escondidos, nos isolamos. Sabe? Não damos o braço a torcer, mas, na realidade queríamos abraçar, apertar, dizer o quanto gostamos, o quanto amamos, o quanto nos importamos. A vontade de fazer as pazes é enorme, sobretudo, está o orgulho mesquinho, que deixará a dor seguir por mais tempo. Ah! Por que brigamos? Respostas eu tenho, porém, não convence. Para cada motivo de discussão, há uma lembrança das coisas boas vividas e realizadas juntos.  Acredito que em cada desacordo existe um flash back de momentos mágicos vividos, castelos de sonhos construídos. Fazer as pazes não é uma opção, é uma ordem premente. Pessoas especiais deveriam ter salvo conduto em nossas vidas, deveriam fazer parte de nossa história sem ser incomodada. Estar lá e pronto, acabou. O perdão deveria ser automático, assim não teriam brigas com quem amamos. Existem pessoas que o rosto triste não combina com ela. Há pessoas que nasceram para alegrar o ambiente em que estão, e não fica bem com o semblante triste. Fazer as pazes é o melhor a se fazer, perdoar e ser perdoado.  



segunda-feira, 2 de julho de 2018

Cães e gatos

As tensões causadas pela arte do viver em sociedade são frustrantes, estressantes e cansativas. Todos os dias me deparo com situações que causam chateações, frustrações, decepções. Nossa! Como é difícil viver entre os iguais. Há aqueles que preferem a companhia canina, ou felina de tão frustrante que é viver em comunidade. Um dia desses observei a estupidez de um ogro no transito, duas mulheres se agredindo., meninos brigando por causa de uma bola. A TV mostrou aquele politico sendo acusado. Ei, espera um pouco! No mesmo dia eu vi um homem ajudando uma senhora atravessar a rua, vi outro descendo de seu carro e ajudando outro a empurrar o carro que tinha problemas mecânicos. Presenciei outras mulheres conversando amistosamente. Crianças brincando na rua, correndo atrás de pipa (papagaio) e suas mães se divertindo. Na TV vi a apresentadora mostrando a transformação feita em uma comunidade a partir de uma lei aprovado por um político. Cães e gatos são ótimas companhia, mas, não tem capacidade de produzir mudanças permanentes. Pequenos gestos fazem a mudança no humor. Pequenos gestos são bálsamos para um coração conturbado, carregado. Sabe? Eu tenho tentando domesticar meu coração. Ensiná-lo ver as coisas boas praticadas por boas pessoas. Os detalhes que enchem os olhos, que surpreendem, um gesto de bondade no transito agitado, um fair play na fila do banco, uma gentileza no coletivo. Sim. Coisas assim existem. Eu já vi, já recebi, já pratiquei. Cães e gatos reagem por instinto, mas, pessoas fazem por intenção. Tenha cães e gatos, só não feche os olhos para o bem que é feito por iguais nós.

domingo, 1 de julho de 2018

A ponte e a amizade

Sabe aquela vontade de sumir, não ver ninguém? Tudo parece sem graça sem cor, pois é. As vezes a crise existencial chega sem ser convidada e quer fazer parte de nossas vidas, vem sem ser convidada. Essa vontade só não tem êxito por não ser possível. Não é possível pois, existem pessoas que amamos e que nos amam e precisamos delas e elas de nós. Diante desse cenário é preciso levantar se da cama, escovar os dentes, arrumar o cabelo, colocar um sorriso no rosto e seguir em frente, mesmo que o sorriso seja por fora e no lado de dentro as lágrimas contidas. Precisamos olhar em volta e ver a ponte que faz a amizade. Muitos conhecem tal desejo, tal sentimento. Indesejável que consome internamente, como um ladrão de alegria, usurpador da paz, parasita da alma, perturbador do espírito. Como diz a canção, "Acredite, é hora de vencer". Sim, vencer pois, "Essa força vem de dentro de você. E vencendo os limites e escalando as fortalezas conquistando o impossível pela fé". É pela fé que vencemos. A fé no Filho de Deus nos move cada dia, apoiando, fortalecendo e mostrando motivos pelos quais vale a pena lutar. Olhar em volta e ver a ponte que faz a amizade.




sexta-feira, 29 de junho de 2018

Fama fugaz e infiel.

A fama é ilusória, ela não é fiel, ela usa quem quer sem dó nem constrangimento, ela esmaga, tira a paz, rouba a saúde, destrói amizades, destroça família, rouba a vida. Em busca do fama, do reconhecimento muitos encontrarão a frustração, e receberão a companhia da decepção. Em nome do estrelato, não percebemos que o caminho para ele é escorregadio. A traição e a falsidade são figuras carimbadas nos bastidores. O tombo provavelmente inevitável. A busca pelo reconhecimento deixa o aspirante distraído enebriado,  olhando para pessoas, mirando lugares altaneiros, perdem a noção, perdem a visão, perdem o tino, perdem noção do tempo e do ridículo. Muitos buscam o reconhecimento sem saber que fazem isso, parece ser inconsciente essa busca, só se dá conta quando o tapete foi puxado, o castelo de areias ruiu, os amigos se foram, o reconhecimento não aconteceu. A fama ela é fugaz e infiel.

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Meu anjo rosa


Existem sonhos que não se pode segurar ou prender. Não há força humana capaz de permitir que as mãos possam segurar sonhos, aqueles que são frutos do desejo. Nem sempre se pode viver os sonhos da juventude. Sonhei com você. Por você minhas lágrimas muitas vezes foram companhia. Mas, os sonhos são para serem vividos, perseguidos, eu sonhei com você meu anjo, meu anjo rosa. Te desejar, te abraçar, envolver-te nos braços, ver seus olhos, seu sorriso, ver a sua luta pela vida. Meu anjo rosa, valente. Valente ao ver a luz, valente ao lutar pela vida, valente ao dar força para mim, alegria para nós, emoção para todos. Um sonho, um presente, uma benção, uma alegria é isso que és. Ter você hoje aqui é celebrar a vida, é esquecer o drama de outrora, é o motivo para dizer ser valente é ter sua companhia. Eu sonhei contigo e hoje no dia de ser presenteada quem recebe presente sou eu. Você é nosso presente, meu anjo rosa. Está presa em nossa alma, eternizada em nossa vida. Hoje e sempre será o nosso amor.