quinta-feira, 19 de abril de 2018

O Seu olhar

Entre as coisas belas e encantadoras da vida estão os olhos. O olhar é uma das mais belas experiências da humanidade. Existem belos olhos e com eles olhares cheios vida, de significados. Há olhares que falam mais nitidamente que um grito. Olhar de dor, de despedida, de alguém apaixonado, de alguém desesperançado. E aquele olhar inesquecível, da mãe quando vê seu filho pela primeira vez após o parto. Esse é o olhar que uma mulher jamais esquecerá na vida. Pode passar o tempo que passar estará em sua retina, a imagem de seu filho, menino ou menina. Os olhos, sempre belos, olhos que encantam e iludem, que mentem, que pela beleza se rende, se prende, então depende. Azul, verde, castanho, negros, âmbar, como não notar, como não lembrar, pois, existem para capturar, prender, fixar. Os olhos marcam, comunicam, confundem, explicam. Olhos e olhares em um passado, em uma possibilidade, não saber como, marejar, escurecer, olhar sem ver, ver sem perceber, olhar que espera compreender o que viu, desistiu, mais, uma vez, olhar. 

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Viver sem esperança

Sentir falta de alguém é reconhecer silenciosamente que algo importante deixou de estar perto, que uma pessoa especial foi embora para nunca mais voltar. O Sentimento aqui não é saudade, a palavra é sentir falta. Falta de tudo. Falta da companhia, dos diálogos, do bom humor, mesmo do mal humor. Existem pessoas que são importantes por demais, alegram nosso dia, faz com que todo amanhecer seja especial. Nos faz sentir imprescindíveisé a causa do sorriso fácil em nossos lábios. Infelizmente essas pessoas não são eternas, não são onipresentes. Elas se vão. Elas são levadas de nós. Algumas vão para a eternidade, ficam na memória. Tem aquelas que vão para outro país, outro estado, outra cidade, outro bairro, deixando expectativas. Mas, existem aqueles que simplesmente se foram sem perceber que fariam falta. Não deixaram endereço, não deixaram notícias. Apenas deixaram sua lembrança na retina, sua imagem na memória. O que deixaram? O céu cinzento, o sol sem brilho, a noite com poucas estrelas, as nuvens carregadas, os olhos sem expressão, a vida mais lenta, mais pesada. Viver com a ausência e viver sentindo falta, viver sem esperança.  

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Cada um dá o que têm


Cada um dá o que tem. Essa é uma verdade. Quase inquestionável. Na verdade muitas vezes queremos dar muitas coisas que não conseguimos, ou não podemos. Você já percebeu as coisas que prometemos dar. Muitos de nós quando apaixonados, prometemos dar a lua, as estrelas, pegar com um balde às ondas do mar, prometemos arrancar nosso coração. Prometemos escalar montanha, atravessar oceanos, enfrentar exércitos. Quando na verdade não conseguimos nem encontrar palavras para definir o que desejamos, ou expressar o que pensamos. Ao analisar o fundo de minha existência percebi que há em mim uma pobreza, porque não, uma miséria. Não ter o que oferecer além de presentes, coisas que se pode comprar com dinheiro, ou alguma coisa que me custa esforço físico. Que direito alguém tem de dar o que não pode, deixar em outro a expectativa que não pode ser preenchida. Quando algo assim acontece o caminho é pensar: o que eu posso dar? O Que? Meu respeito? Minha admiração? Meu carinho? Minha amizade? Algo mais, além disso? Cada um dá o que têm, o contrario disso é uma ilusão, mesmo sem ser premeditado, ou desejado, um caminho para o sofrimento. Ir em direção à dor. O que podes dar? Se puder dar o respeito que seja ele com intensidade. Se o que tens é a admiração, se for o que pode oferecer não economize. Se for carinho a amizade seja o melhor amigo que alguém poderia ter no mundo. O que passar disso, a probabilidade de decepção e interrupção da beleza que traçou caminhos paralelos colocará uma encruzilhada que não deixará um tchau, mas provavelmente um indesejado adeus. A sinceridade trará a manutenção da companhia daqueles que como benção divina foram colocados ao curso de nosso caminho na vida. 

terça-feira, 3 de abril de 2018

Somos interesseiros.


As histórias da vida muitas vezes são dramáticas e sensibilizarão as pessoas. O que é natural por se tratar de uma situação de dor, ou perda, tragédias, ou mesmo catástrofes. Mas, um fato curioso é que nem sempre os dramas da vida têm os mesmos impactos na vida de pessoas que estão em nossa volta. Aqueles que fazem parte de nosso convívio diário. Uma mesma história pode ter ou causar reações diferentes, pelos mais diversos motivos. Não pretendo propor dosimetrias entre casos e casos, apenas pontuar o quanto somos levados pelos nossos interesses pessoais. O luto só é sentido quando é em nossa casa, o luto na casa do outro mesmo que esse seja próximo a nós, não provoca a sensibilidade necessária. Quando falamos de crise financeira, ela só será real se sentirmos em nosso bolso, o fato de pessoas ligadas ao ciclo social que vivemos estarem com problemas de ordem financeira é bem capaz de nem termos esse conhecimento. As pessoas más, só serão más quando nos ferirem. Quando outros são feridos, por elas, provavelmente mereceram viver aquilo. Ou seja, somos interesseiros. Gostaria que os nossos interesses fossem nobres, mas eles não são. Definitivamente, agimos de acordo com nossos padrões que, muitas vezes não levamos em consideração os outros. Por esses motivos choramos a morte de alguém e nos silenciamos diante da morte de outro. Condenamos um regime politico e apoiamos o outro. Aceitamos veladamente sofrimento e até morte de alguns e colocamos a boca no trombone em outros casos. O aluno que leva uma maçã para professora, com a finalidade de ter uma melhor nota. O elogio com o fim de receber um mimo especial. Somos interesseiros. Poderíamos mudar isso, tendo em nós a compreensão de que somos seres iguais, não apenas na constituição de nosso país, mas, iguais compostos da mesma essência. 

domingo, 25 de março de 2018

Não sei se terei muito tempo

Existem questões na vida que não são fechadas. Pois, a teologia tem respostas, e a filosofia propõe perguntas. As Questões ligadas ao tempo de nossas vidas nos remete a um pensamento de Salomão no livro de Eclesiastes capitulo três. Ali ele está como um velho filósofo que busca responder perguntas feitas por ele durante sua vida. Sobre o tempo ele afirma coisas que aprendeu na vida que viveu e viveu intensamente. No seu fim estava cheio de frustrações. O que falar sobre o passar do tempo? O tempo é amigo, inimigo, carrasco. Se pudesse eu faria algumas perguntas para ele. Por que você apaga a memória que deveria manter,e mantem aquelas lembranças que deveria apagar? Por que você passa rápido em momentos que deveria ser lento, e é lento quando deveria ser rápido. O Tempo é remédio e veneno, o tempo é cruel, é fel, inimigo. As vezes é fiel e amigo e companheiro. Rápido quando quer e lento com prazer. Implacável mas, também tolerante. Ah, o tempo, se eu pudesse entendê-lo. Se eu pudesse conversar com ele eu diria muitas coisas, mas, não sei se ele me daria o seu tempo.

imagem https://www.dm.com.br/opiniao/2017/06/somente-deus-controla-o-tempo.html

Enquanto você dormia.

Enquanto você dormia muitas coisas aconteceram. Isso significa que nossa importância acerca do curso da vida é limitada. As coisas acontecem mesmo quando não estamos em ação. Não somos diminuídos por isso, mas, ficamos diante de nossa realidade. Jesus deixou isso claro quando contou a parábola do semeador: "E dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra. E dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente brotasse e crescesse, não sabendo ele como. Porque a terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga: E dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra. E dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente brotasse e crescesse, não sabendo ele como. Porque a terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga", Mc 4:26-28. A importância desse agricultor era plantar, e enquanto ele dormia o processo da criação seguia seu próprio ritmo. Quantas coisas acontecem enquanto dormimos. Decisões que mudam os destinos das nações, filhos são concebidos, vidas são interrompidas, milagres acontecem. Enquanto estamos acordados vamos fazer a nossa parte, vamos contribuir com nossos talentos. Oferecer nossos dons, transmitir alegria, fazer bem às pessoas que nos cercam. Amar quem nos ama, perdoar quem nos fere, abençoar com nossa vida. Plantar a boa semente que temos em nosso coração. Nossa história pregressa seja fator motivacional para nossa vida futura. Não percamos o sono tentando fazer o que não podemos. Nossa missão é semear, germinar e dar o crescimento é processo que não depende de nós. Enquanto você dormia eu estava aqui.

 imagem https://lulenag.wordpress.com/2013/02/15/o-despertar-2/sonhando-menina/

sábado, 17 de março de 2018

O que pensar diante de certas coisas?

Todos os dias nos deparamos com atos e fatos que desafiam nossos conceitos e mexem com nossas estruturas. Em mundo com cada vez mais pessoas, com uma superpopulação, mas, parece que o mundo está cada vez menor. Com o advento e proliferação das tecnologias, com a popularização das mídias sociais, todos falam, mas, infelizmente, poucos param para escutar. O certo pode não estar certo e o errado pode não estar errado. O que pensar diante de certas coisas? O que responder a certas perguntas? O porquê de tantos por quês? Te confesso que não sei a resposta. Juro que gostaria muito de conseguir pelo menos algumas repostas, mas, não consigo. Estaria eu atrasado, ultrapassado? Estaria eu vivendo em descompasso a este tempo?  Não me atualizei? Pode até ser que sim, mas, não é só isso. Não se trata de mim, mas, de nós. Nós estamos vivendo um tempo cheio de insatisfações, desesperadamente competitivo. Biologicamente, psicologicamente, emocionalmente, fisicamente, não estamos preparados. Somos ameaçados pelo medo do outro ocupar meu espaço, se apoderar do que é meu. Roubar minhas amizades, frustrar minhas alegrias. Eu tenho medo de perder, e as vezes perder o que não tenho. Eu não sei o que pensar...

Imagem
http://www.odefensor.com.br/site/2017/01/27/imagem-da-semana/