quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

E O Homem é ...

Davi, o Rei de Israel, e salmista, no Salmo oito levanta uma questão: “O que é o homem?” esta pergunta parece ser fácil, mas, é complexa e difícil responde-la. Há milênios a humanidade busca respostas a está pergunta, e com o passar do tempo e da evolução parecia que teríamos uma resposta clara e objetiva, na verdade não é o que parece. O que constatamos é que quanto mais o tempo passa mais dúvidas surgem e mais respostas são apresentadas. “Costuma-se atribuir á palavra homem duas origens. A primeira do grego ânthropos - que significa rosto de varão -, por oposição à palavra homem enquanto o indivíduo masculino, da espécie humana, e quer dizer: que tem valor, virtude e qualidade. Nessa concepção, homem distinguiu-se dos demais seres. A segunda, do latin humus, que significa terra”. Estas são duas das varias visões que podemos ter do homem, ou seja, para se analisar, ou estudar o homem.  Para analisar ou estudar o homem, é necessário observa-lo de várias maneiras. Como ser psicológico vemos o homem como ser individual com personalidade própria e/ou Homem como conjunto de todas as sociedades e civilizações desde os tempos mais primitivos até aos nossos dias – nasce, cresce, vive e morre como todos os outros seres vivos animais. Como animal que também é pertencente à classe dos mamíferos, a espécie humana diferenciou-se dos outros animais devido a um maior crescimento natural do seu cérebro e a um desenvolvimento da fala que permitiu a criação de ideias, tornando-se o ser por excelência do planeta Terra. Já na filosofia é uma definição sumária, pode-se afirmar que, para Aristóteles, o homem é um animal político na medida em que se realiza plenamente no âmbito da pólis (cidade). Segundo Aristóteles, a “cidade ou a sociedade política” é o “bem mais elevado” e por isso os homens se associam em células, da família ao pequeno burgo, e a reunião desses agrupamentos resulta na cidade e no Estado. Já no campo da Teologia de acordo com Barth, portanto, o homem nada pode saber e dizer a respeito de Deus por si mesmo. A pessoa que pretende falar de Deus a partir de seus sentimentos e raciocínio estaria na verdade falando de um ídolo. O verdadeiro Deus é Totalmente Outro em relação ao ser humano – em tudo o que ele pensa, sente, deseja, elabora e compreende. Mas de acordo com o Salmista o homem é uma criatura divina, com características especiais e capacidades de governo e gestão eficiente.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

O que é que você vê?

Somos condicionados a ver aquilo que nos chama a atenção, e na maioria das vezes, damos mais importância ao negativo, ao feio, ao ruim. O ser humano não tem facilidade em receber elogios, mas absolve as criticas. Neste texto quero abordar a Graça de DEUS como alvo de nossa visão. Jesus disse: “onde estiver nosso coração aí também estará o nosso tesouro”, e o coração humano na maioria das vezes é guiado pelo que os olhos miram. As pessoas tem facilidade em ver o que dá medo, e pavor. Veja o que está escrito no Livro de Exodo 14:13-16. Moises frente ao Mar Vermelho viu: O exercito de Faraó, viu o mar Vermelho em sua Frente, viu o desespero do Povo, mas, Moises Frente ao Mar Vermelho não viu: A possibilidade do Milagre, não viu a possibilidade do Livramento que Deus colocou em Suas Mãos, e não projetou o Mar Aberto em Sua frente. Outro texto Bíblico desafiador para a fé humana é 1 RS 18:41-46: o Profeta Elias Vivia no meio de um povo rebelde e Idolatra e Viu: A Seca invadindo toda a Terra, A Solidão e um povo abandonado, mas, não viu somente isto ele, também, viu o fim da Miséria na vida do Povo. Para Concluir trago a nossa memória Atos 11:19-24: Onde lemos que Barnabé Viu A Graça de Deus. Barnabé foi enviado à cidade de Antioquia e viu Uma Cidade como outra qualquer, com defeitos e qualidade de qualquer cidade, mas, o que chamou a atenção de Barnabé foi a Graça de Deus.  Quero perguntar a ti: O que seus olhos tem visto ou contemplado? O que você tem visto? De que forma você tem enxergado a vida? Sua Família? Seu trabalho? Sua Cidade? Que tal mudar a forma de ver as coisas! Existem duas aves conhecidas em nossa região. O Urubu e O beija-flor. O Urubu em seus vôos rasantes não vê as Flores, não tem a sensibilidade para ver os belos jardins e as lindas e perfumadas flores, ele só vê os corpos em processo de decomposição. Já o Beija flor, mesmo que sobre voe campos, onde há mortos, ele não tem a atenção voltada a não ser para as flores onde ele se delicia, não vê os corpos podres, só vê as flores. A Bíblia nos ensina a ver as coisas belas da vida. A Bíblia nos ensina a ver a Graça de Deus. Olhem as aves do campo, os lírios do campo, eles dependem da graça de Deus, Mt 6:25-33. Que neste próximo ano nosso povo veja a graça de Deus, em todos os lugares.