sexta-feira, 19 de abril de 2013

A Escola Precisa Se Transformar


A cultura provida pela ciência, pela técnica, pela linguagem, pela estética e pela ética. Uma escola de qualidade é aquela que inclui; uma escola contra a exclusão econômica, política, cultural e pedagógica. Diante deste pressuposto surge a importância de uma Supervisão escolar dotada de equilíbrio. Nos dias atuais é possível perceber que a educação acontece em muitos lugares, nas múltiplas agencias. Além dos núcleos familiares o fazer educacional acontece através das mídias, nas empresas, nos clubes nas academias de ginásticas. A vida urbana tem múltiplas expressões educacionais. Diante desta constatação a Escola precisa se transformar, ou, adequar- se a esta realidade, para não perder de vista seu mais nobre papel/função que é educar para vida.
O desenvolvimento, em grande parte das nações, faz com que os cenários estejam em constante mutação. O crescimento populacional, o aumento a expectativa de vida, a mudança nos clãs familiares se interpõe transformando-se em um grande obstáculo, um desafio, talvez, sem precedente.Todo o estresse causado pelas incertezas, e as competições natural da chamada “lei do mais forte”, “quem pode mais chora menos” parece tornar uma verdade na atualidade neste sistema capitalista predador.
Uma escola que tem as respostas muitas indagações poderia contribuir para dar um norte aos sem perspectiva de um futuro.  Acreditamos que uma formação com excelências para os professores dariam uma nova vida para o ambiente escolar. A disposição de quem leciona e de quem aprende poderia ser outra. Mas, a formação que referimos neste texto vai além, da academia, da ciência, falamos da formação psíquico-emocional do profissional da educação. A saúde plena daqueles que compõe os profissionais que atuam na escola.
A formação dos profissionais da educação para a administração, planejamento, inspeção, supervisão e orientação educacional, entre outros profissionais devem ir além do conhecimento, mas poderia ter a saúde emocional equilibrada, para atuar de forma significativa e relevante na vida dos educando. Ao ter uma vida equilibrada o profissional estaria transmitindo e inspirando confiança para aqueles que estão sendo formado para a vida. Ao propormos uma nova postura para o profissional da Supervisão Escolar, que vive em um novo tempo, estamos com isso querendo que o profissional da educação e o educando possam ter uma vida de equilíbrio e desta contribuição as famílias seriam alcançadas e por consequência teríamos uma sociedade diferente. A sociedade seria menos agressiva, competitiva, mas com equidade. A ética seria base dos relacionamentos e das decisões em todas as vertentes da vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário